Neurite Ciática: como acontece e qual é a sintomatologia?

3 de maio de 2019

A neurite ciática afeta muitas pessoas pelo mundo e tem como sintoma mais considerável a irradiação de dor nas pernas e incapacidades relacionadas. Há diversos estágios em seu tratamento, o mais comum é que os pacientes sejam tratados com cuidados primários. Apenas uma pequena porção necessita ser encaminhada para outras formas de intervenção. Nesses casos a cirurgia pode ser necessária, eventualmente.

Como acontece a Neurite Ciática?

A coluna vertebral é formada por vértebras que, por sua vez, são separadas e protegidas por discos flexíveis compostos por um centro macio e um revestimento externo rígido. Quando um desses discos se desgasta – seja devido a uma lesão ou por anos de uso -, o seu centro flexível pode começar a empurrar o anel externo rígido, saindo então da sua posição normal e invadindo o canal vertebral.
Assim, esse conteúdo passa a comprimir as raízes nervosas, o que leva à dor. Esse processo é o que conhecemos por hérnia de disco.

neurite ciática
Imagem: Shutterstock

A dor causada pela neurite ciática geralmente começa com uma hérnia de disco na região da coluna lombar. Como vimos, a hérnia causa a compressão de nervos ao redor do disco afetado. Quando o problema está localizado na lombar, ou seja, na parte inferior da coluna vertebral, pode atingir o nervo ciático.
O nervo ciático é o nervo mais longo do seu corpo (como podemos ver na imagem). Ele começa na parte inferior das costas e se divide para percorrer os quadris, nádegas, pernas e pés. Por isso, a área de dor é tão extensa.
Além da hérnia de disco, os osteófitos (desenvolvimento anormal de uma pequena saliência óssea) e estenose espinhal (estreitamento do canal espinhal) também podem exercer pressão sobre o nervo ciático na parte inferior das costas.
Em geral, estima-se que de 5% a 10% dos pacientes com lombalgia venham a ter neurite ciática. Mais raramente, o nervo pode ser comprimido por um tumor ou danificado por uma doença como a diabetes.
Além disso, alguns fatores de risco pessoais e ocupacionais foram identificados. Veja a seguir.

Fatores de risco para a neurite ciática aguda:

  • Ocorre principalmente na Idade entre os 45 e 64 anos;
  • O risco de neurite ciática aumenta em pessoas mais altas;
  • Tabagismo;
  • Obesidade;
  • Ficar muito tempo sentado;
  • Estresse mental;
  • Atividade física extenuante, como levantamento frequente, especialmente ao forçar a coluna;
  • Condução de veículos que causam vibração no corpo inteiro.

Sintomas

A dor que irradia da lombar para a nádega e para a parte posterior da perna é o sintoma mais comum da neurite ciática. O paciente pode sentir o desconforto em praticamente qualquer parte ao longo do trajeto do nervo ciático. Mas é mais provável que a dor surja no caminho que vai da região lombar até a nádega, a parte de trás da coxa e da panturrilha.
A dor pode variar de um grau leve a uma dor aguda e intensa, as quais apresentam chances de serem agravados quando a pessoa fica sentada durante muito tempo ou até mesmo quando tosse ou espirra. Por vezes, a dor pode se assemelhar a um choque elétrico.
Dormência, formigamento e fraqueza muscular na perna ou no pé também podem ser sentidos.
Geralmente apenas um lado do seu corpo é afetado.

Tratamento para a neurite ciática

Investir em medicamentos para combater a dor causada pela neurite ciática é um dos tratamentos, mas ele pode não ser a melhor solução tendo em vista os efeitos colaterais.
Yoga, acupressão e fisioterapia também podem ajudar e apresentam efeitos positivos.
Mas a massagem tem sido considerada a forma mais benéfica para aliviar a dor ciática. É um método natural que ajuda os músculos próximo da área afetada a relaxarem, agindo também sobre a inflamação.
Os músculos afetados pela neurite ciática ficam tensos e doloridos, e a massagem, além de relaxá-los, leva à liberação de materiais tóxicos. Isso faz com que a dor seja aliviada.

A liberação miofascial

A fáscia é um tipo de tecido conjuntivo, flexível, que permeia todas as células, tecidos e a estrutura do corpo como um todo.
A liberação miofascial, ou mobilização de tecidos moles, trabalha com pressão e movimentos que tiram a tensão da fáscia, dos nervos e dos músculos rígidos e doloridos. Levando a uma melhor mobilidade e alívio da dor.
Ela é empregada em pacientes com neurite ciática para se trabalhar sobre os músculos e a fáscia das costas, quadris, nádegas e pernas. Com isso, traz relaxamento muscular, reduzindo a pressão no nervo ciático.
Para mais informações a respeito da técnica, acesse nosso artigo sobre liberação miofascial manual e instrumental.

neurite ciática
Imagem: Shutterstock

Pontos-gatilho

Aliviar a dor ciática ao desativar pontos-gatilho também é um método bastante eficaz e a liberação miofascial também cumpre esse papel.
Os pontos-gatilho são áreas do corpo que se tornam sensíveis e doloridas quando ativados e que também podem ter seu efeito transmitido para outras áreas do corpo não afetadas.
Os pontos-gatilho podem causar a dor ciática, irritando e gerando inflamação nos músculos das nádegas, costas, coxas e pernas.
Tendo isso em mente, recomendamos que leia nosso artigo com tudo o que você precisa saber sobre pontos-gatilho e como aliviá-los com a liberação miofascial e outras técnicas!

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *