Liberação miofascial: a seco nunca

12 de abril de 2019

A liberação miofascial é uma técnica muito utilizada com a finalidade de recuperar e devolver a flexibilidade da fáscia. Causa de dores e limitação de muitos pacientes. Esse método também pode fazer uso de instrumentos que possibilitam aos fisioterapeutas alcançar obstruções que podem não estar acessíveis com o uso apenas dos dedos ou mãos, com um esforço menor. Como é o caso do tecido cicatricial e outras restrições profundas. Esses tecidos de outra forma seriam inacessíveis.
Existem várias ferramentas de IASTM disponíveis, construídas com materiais diferentes, incluindo plástico, madeira e aço inoxidável. Muitos especialistas concordam, porém, que o aço inoxidável é a melhor escolha. Mas, junto dos instrumentos, alguns cuidados devem ser tomados, como é o caso do uso de cremes.

Cremes

Ao realizar a técnica de liberação miofascial no seu paciente, o ideal é a utilização de um creme específico. Com o creme pode-se obter um melhor deslizamento sobre a pele, além de uma proteção maior para o cliente. Pois com seu uso se previne a irritação causada pelo atrito que pode ocorrer quando os instrumentos entram em contato com a superfície da pele.
Porém, como dissemos brevemente, não se pode apenas utilizar qualquer creme. A qualidade deve ser priorizada. Afinal, cremes desenvolvidos especificamente para a finalidade da liberação miofascial duram mais, oferecem o deslizamento adequado e representam um risco menor para o paciente.
Ao escolher um produto feito para ser utilizado com os instrumentos de liberação miofascial, obtém-se um creme que oferece a medida certa de deslizamento, aderência e espessura para o trabalho. Facilitando, assim, a execução, ao invés de atrapalhá-la.

Ingredientes

Além disso, os ingredientes presentes também são essenciais. Pacientes que procuram o tratamento de liberação miofascial estão sentindo dor, provavelmente já há algum tempo. Portanto, selecionar um creme que contenha ingredientes calmantes também é importante e mostra cuidado para com o seu paciente.
A arnica é um ingrediente popular que pode ter um efeito semelhante ao ibuprofeno em relação à dor. Outro componente interessante é a manteiga de karité, ingrediente similar, que faz bem para a pele.
A quantidade recomendada é o suficiente para deixar a pele “polida”, evitando que o creme acumule no instrumento. Dessa forma, não há desperdício ou acúmulo de células mortas, deixando a sessão, como um todo, mais agradável.
Mas atenção, o creme pede uma precisão maior e um controle total do instrumento. Caso contrário, ele pode acabar dificultando ao invés de facilitar. É por essa razão também que o cuidado com a escolha do creme é importante: maior controle sobre o instrumento. Cremes de baixa qualidade dificultam o manuseio.

liberação miofascial
Imagem: Shutterstock

Portanto, ao procurar por um creme para realizar a liberação miofascial instrumental, priorize um produto desenvolvido por profissionais para profissionais, que melhora o processo de mobilização dos tecidos moles, ajudando com isso no tratamento de todas as profundidades.
Com o creme e a ferramenta corretos, você consegue o melhor resultado para o seu paciente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *