Dores referidas mais comuns: a importância do diagnóstico correto

5 de abril de 2019

As dores referidas são sentidas pelos pacientes em um ou mais locais diferentes da região do corpo realmente afetada. Se alguém está com dor no ombro, isso normalmente quer dizer que a pessoa está com problemas na articulação, músculos, ligamentos, tendões ou em volta do ombro. Mas há casos em que a fonte da dor pode ser o coração, a barriga ou outra área.
Geralmente, se o problema é mesmo no ombro, movê-lo pode melhorar ou piorar a dor. Mas quando se trata de uma dor referida não se sente qualquer diferença ao movimentá-lo.
Neste texto vamos conhecer algumas das dores referidas mais comuns que ocorrem por conta de problemas em órgãos internos, e algumas das que ocorrem por problemas no sistema musculoesquelético. Muitas vezes elas podem enganar os profissionais, já que apresentam a mesma sintomatologia, diferenciando-se na fonte dos problemas.

Infarto Miocárdico

O exemplo mais comum de dor referida é a sentida no pescoço, no braço esquerdo, na mandíbula e nos dentes de uma pessoa que está prestes a sofrer um ataque cardíaco. Dores na área do peito em si, por outro lado, não são sentidas em boa parte das situações.
Não é raro haver casos em que se pensa que a dor é causada por algum problema dentário. Por isso, muitas vezes extrações dentárias são feitas ao se acreditar erroneamente que existe uma origem dentária na dor. Mas a extração, obviamente, não tem efeito algum sobre o ataque cardíaco.

Pancreatite aguda

A dor nas costas, típica da pancreatite, deve-se, em parte, ao fenômeno da dor referida, bem como à posição do pâncreas no abdômen.
O pâncreas encontra-se contra na parede abdominal posterior, atrás do estômago. A doença pancreática pode causar dor nas costas por estimulação direta de fibras nociceptivas nessa parede abdominal. Ela possui uma grande quantidade de ramos ventrais dos nervos intercostais.
Ainda veremos mais a respeito do papel dos nervos nas dores referidas.

Colecistite

A dor no ombro é a terceira queixa musculoesquelética mais comum e é frequentemente causada por uma anormalidade no ombro. Mas também pode ser por causada pela dor referida.
Um paciente que está com a vesícula biliar inflamada (colecistite) pode acabar sentindo dor na escápula média ou no ombro.

Causas por trás das Dores Referidas

Ainda não se sabe o que exatamente causa a dor referida. Alguns pesquisadores acreditam que ela acontece devido a uma confusão nas mensagens nervosas.
O sistema nervoso central recebe uma quantidade imensa de mensagens de diferentes partes do corpo o tempo todo. Então, essas mensagens podem acabar se misturando em algum ponto. O caminho que elas percorrem vai do local afetado e a medula espinhal ou o cérebro, onde os sinais de dor são processados.
Veja a seguir uma imagem que nos mostra diversas dores referidas e suas respectivas origens:

dores referidas
Imagem: Shutterstock

Dores referidas: pontos-gatilho

Vimos até agora casos em que a dor referida parece uma dor musculoesquelética, mas que na verdade se trata de outro problema. O contrário também pode acontecer (veremos adiante com a apendicite).
Além disso, há casos em que essas dores são, de fato, dores no sistema musculoesquelético. Porém elas também podem aparecer em lugares diferentes dos de sua origem. O que exige domínio dos profissionais de fisioterapia para realizar o diagnóstico correto.
Neste último caso não são os nervos, mas os próprios músculos que fazem com que o paciente sinta a dor em outros lugares. Aqui podemos explicar a dor referida por meio dos pontos-gatilho.
Os pontos-gatilhos que causam dor são regiões que se tornam sensíveis por estarem sob um estresse anormal. Má postura, realização de um mesmo movimento em excesso e sedentarismo são apenas algumas das razões que podem estar por trás da ativação do ponto-gatilho. As áreas mais atingidas são os músculos, tendões, ligamentos e a fáscia
Esses pontos-gatilho podem causar dores que não se limitam à área afetada. Além disso, a fáscia também é atingida. Problemas na fáscia também costumam causar dor em lugares diversos devido à sua característica ininterrupta. A fáscia é um tecido que envolve o corpo todo e tem um papel muito importante em seu funcionamento. Quando é danificado, esse tecido pode se tornar um problema.

dores referidas
Imagem: Shutterstock

Pontos-gatilho podem ser diagnosticados como a fonte da dor se os sintomas puderem ser reproduzidos quando o fisioterapeuta pressiona um ponto-gatilho específico.

Tratamento: liberação miofascial

Mesmo que para alguns casos não exista cura completa, a maneira mais recomendada de tratar desses pontos-gatilho é o uso da técnica de liberação miofascial.
A liberação miofascial é uma técnica segundo a qual o fisioterapeuta faz pressão no corpo do paciente. Ela serve tanto para recuperar a flexibilidade da fáscia quanto para desativar pontos-gatilho. Em quaisquer casos e necessidades, a dor referida é combatida com eficácia.
Mesmo nos casos em que a cura não é possível, os benefícios são muitos. Não se limitando apenas ao alívio da dor e recuperação dos movimentos prejudicados, mas também trazendo benefícios para a mente. As vantagens são muitas, tais como combate à ansiedade, melhora da qualidade do sono etc. Ou seja, o relaxamento é geral, não restrito somente à área tratada.
A liberação miofascial pode ser realizada manualmente. Também pode ser feita com o auxílio de instrumentos potencializadores. Tanto para os pontos-gatilho, como para a fáscia como um todo.

dores referidas
Imagem: Shutterstock

Como já dissemos, problemas nos pontos-gatilho ou na fáscia podem ter sua origem em determinado lugar do corpo e aparecerem em outro. Por isso, durante o tratamento cabe ao especialista identificá-los adequadamente. Caso contrário, a terapia não pode ser efetiva.

Casos de pacientes mal diagnosticados

Os pontos-gatilho, às vezes, também podem causar sintomas que parecem ser tão graves que são confundidos com algo realmente problemático.
Veja este caso, por exemplo: um homem vai ao hospital várias vezes por estar com dores no peito e no braço. Ele é reexaminado, mas o diagnóstico sempre é de insuficiência cardíaca. Porém, quando esse mesmo homem vai a um fisioterapeuta experiente percebe-se que o problema é outro. Uma massagem no músculo peitoral resolve facilmente a questão.
Confira outros exemplos:

  • Ciática: é muitas vezes causada por dor no piriforme ou em outros músculos glúteos, e não por irritação do nervo ciático;
  • Dor mandibular crônica, dor de dente, dores de ouvido, sinusite, zumbidos nos ouvidos e tontura: também podem derivar dos pontos-gatilho dos músculos ao redor da mandíbula, face, cabeça e pescoço;
  • Fibromialgia: a doença possui muitos sintomas em comum com a síndrome de dor miofascial. Entre eles estão a semelhança entre os pontos-gatilho (usados para diagnosticar a SDM) e os pontos sensíveis (usados para o diagnóstico da fibromialgia). Os pontos sensíveis são diferentes dos pontos-gatilho, pois representam áreas sensíveis dos músculos que doem com a simples pressão manual. Saiba mais sobre a fibromialgia e sobre a SDM em nosso blog!
  • Apendicite: já foram relatados casos em que, depois de já realizada a cirurgia, descobriu-se que o paciente na verdade estava com um ponto-gatilho ativo nos músculos abdominais, e não com problemas no apêndice.

Por isso, um diagnóstico cuidadoso é fundamental. Não podemos esquecer que muitas vezes o tempo é decisivo para que a vida de um paciente seja salva.

Posts Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *