Dor fascial ou muscular? Estudo tenta demonstrar a diferença!

12 de julho de 2019

A dor fascial e a dor muscular podem ser facilmente confundidas, pois, ainda que possuam uma origem diferente são, de qualquer forma, bastante próximas. Assim como suas causas e sintomas. Portanto, não é de se surpreender que realizar a distinção entre ambas seja um problema.
Neste artigo, vamos falar de cada uma dessas dores, para que assim possamos entender com mais propriedade o porquê de serem tão semelhantes. Em seguida, abordaremos um estudo alemão que teve por objetivo encontrar distinções, para então facilitar o diagnóstico e o tratamento.

A dor fascial

A fáscia é um tecido conjuntivo que entrelaça todo o corpo humano. Seu principal objetivo é dar suporte e flexibilidade às estruturas por ela envolvidas. Além disso, graças à fáscia podemos nos mover livremente, sem qualquer atrito. Ela protege também órgãos frágeis de modo a permitir mudanças não abrasivas na posição enquanto nos movimentamos diariamente.
No entanto, quando dizemos que a fáscia envolve todo o corpo, não nos referimos apenas aos músculos e aos ossos. As veias, artérias e nervos também estão inclusos.
Assim, estando a fáscia por toda parte, diversas situações podem facilmente levar à lesões fasciais e, subsequentemente, à dor: como acidentes, má postura, movimentos repetitivos ou em excesso.
A fáscia pode se curar por conta própria, porém o tratamento adequado é altamente recomendado. Porque a fáscia normalmente não se recupera em sua configuração original sozinha. Adesões no tecido podem ser criadas. Isso significa que a fáscia se torna rígida, o que leva à consequências dolorosas. Uma fáscia rígida está cheia de tensão e já não é capaz de cumprir seu papel adequadamente. A falta de elasticidade leva a movimentos limitados e ao aumento no atrito, que, por sua vez, causam dor fascial.
Além disso, já que a fáscia é um tecido ininterrupto, que envolve todo o corpo, danos locais à fáscia podem resultar em outras dores. Mesmo em regiões do corpo que parecem não estar relacionadas. A fáscia danificada no pé (fascite plantar), por exemplo, pode causar desconforto na canela. Ou mesmo em lugares tão distantes quanto os ombros!
Portanto, além de ser confundida com a dor muscular, a qual veremos a seguir, a dor fascial pode estar relacionada a diversas outras dores. Essas ocorrências são conhecidas como dores referidas. Você pode saber mais a respeito neste texto preparado sobre o assunto!

A dor muscular

As dores musculares, conhecidas também por mialgia, também são extremamente comuns. A maioria das pessoas já teve algum desconforto muscular em algum momento. E, se ainda não teve, com certeza terá. Afinal, o tecido muscular está em quase todas as partes do corpo humano. Então esse tipo de dor pode ser sentida praticamente em qualquer lugar. Dessa forma, é bastante simples de entendermos o porquê de podermos confundi-la com a dor fascial.
A dor muscular pode aparecer por causa de lesões, esforço excessivo, infecções dos tecidos moles ou condições inflamatórias. Sua localização pode ser difusa ou se limitar a grupos musculares específicos localizados, como é o que acontece com as lesões ou o uso excessivo dos músculos.
Dependendo de sua causa, a dor muscular pode ser leve ou altamente debilitante. Alguns sintomas relacionados a ela são a sensibilidade, a vermelhidão, febre e inchaço.

Dor fascial e dor muscular: estudo alemão

Agora, após entendermos a semelhança entre a dor fascial e a dor muscular, podemos conhecer mais a respeito do estudo feito na Alemanha e publicado pela revista Pain Reports, no qual se investigou se descrições verbais a respeito da dor sentida pelo paciente pode ajudar a diferenciar entre elas.
Foram selecionados 16 voluntários para ​​participar do estudo, no qual foi usada estimulação elétrica em diferentes tecidos. De modo a excitar as terminações nervosas que causam dor.
Dessa forma, os voluntários sentiram dor durante a vibração elétrica, mas durante a investigação foi constatado que as diferenças apresentadas não foram muito significativas. Ainda assim, três tipos de dor puderam ser distinguidos, de modo a ajudar na diferenciação entre a dor fascial e a muscular.
A dor térmica superficial (identificada com descrições como “quente” ou “queimando”), a mecânica superficial (dor aguda identificada por descrições como “cortante” ou “ardente”) e a dor profunda (identificada por descrições como “pulsante” ou “latejante”).
Constatou-se que a dor denominada profunda está relacionada à dor muscular e que a dor fascial, por sua vez, apresenta uma qualidade mais aguda e térmica.

dor fascial
Imagem: Shutterstock

Essas diferenças podem, assim, ser exploradas na fisioterapia, de modo a orientar o tratamento mais adequado para os pacientes!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *