Cutting: dicas para definir ainda mais

2 de agosto de 2019

O cutting é o processo pelo qual o atleta passa a perder peso na forma de gordura corporal. Isso normalmente acontece depois de se ter treinado intensamente, ganhado músculos, mas também uma taxa de gordura extra. Para perder essa massa, a dieta é alterada e, claro, os exercícios físicos continuam, mas tendo em mente o novo objetivo.

Porém, como já se sabe, para perder peso não basta apenas cortar as calorias. É necessário selecionar bem o que comer. Neste artigo, iremos ver juntos qual a alimentação ideal para um cutting de sucesso. E, mais do que isso, veremos uma dica especial envolvendo uma técnica fisioterápica famosa para ajudar durante o processo. Ajude seus clientes a alcançar o peso desejado e a definir os músculos da melhor forma possível!

Alimentação ideal para o cutting

Para perder peso, precisa-se, obviamente, consumir uma quantidade menor de calorias do que aquela ideal para manter ou ganhar peso. Porém, mais do que diminuir a quantidade de calorias, é fundamental selecionar bem de quais alimentos elas serão consumidas.

As calorias que consumimos vêm de três grupos básicos de macronutrientes: proteínas, carboidratos e gorduras. Seu consumo deve ser equilibrado porque, ainda que a ideia seja reduzir a quantidade geral de calorias consumidas, medir bem as proporções e os tipos de calorias também ajuda a queimar o excesso de gordura.

Tanto as gorduras quanto as proteínas são importantes por causa de suas propriedades anabólicas. Já os carboidratos não são tão anabólicos, por isso é recomendado diminuir bastante a sua ingestão.

Além disso, é imprescindível ter certeza de que se está consumindo o bom tipo de carboidrato e gordura, como sementes, pães integrais, legumes, verduras e até mesmo frutas. Sempre monitorando as porções. Afinal, ainda que o corte de ingestão de gordura não possa ser total, o tipo ruim de gordura é totalmente dispensável.

Confira a seguir uma lista com algumas escolhas de alimentos ótimos para perder peso. Eles são ideais tanto para pessoas que precisam controlar o peso quanto para aquelas que estão fazendo cutting:

cutting
Imagem: Shutterstock

Salmão

A quantidade de proteína consumida precisa ser alta para garantir que o cutting não equivalha a perda de massa magra. O salmão é uma das melhores opções, pois é pobre em gorduras saturadas, além de conter Ômega 3.

Feijão Branco

O feijão branco carrega todos os benefícios das leguminosas e ainda contém 2500 tipos de anti-amilase por porção. Isso significa que é um inibidor da enzima alfa-amilase, bloqueando assim a digestão de carboidratos e ajudando a reduzir sua absorção.

Chás Verdes

O chá verde já é bastante conhecido por ser termogênico, enquanto ainda ajuda na perda de gordura.

Vegetais de folhas verdes

As folhas verdes são ricas em nutrientes e, assim como a maioria dos outros vegetais, oferece uma boa quantidade de fibras responsáveis por desacelerar a taxa de absorção de outros alimentos.

Óleo de linhaça

Óleo de linhaça é a forma mais concentrada de Omega 3 existente, contendo bastante ácido alfa-linoléico (ALA). O ALA é importantíssimo para a perda de gordura, pois ajuda na regulação da glicose. Além disso, ele também auxilia o corpo a metabolizar gorduras de forma efetiva. Duas características ótimas para quem faz cutting!

Toranja

Toranja é bastante conhecida por ajudar na perda de gordura, mesmo que muitos estudos tenham sido feitos e ainda não se saiba o porquê. De qualquer forma, é outra ótima opção para quem faz cutting.

Pão integral

Durante o cutting, é fundamental encontrar alimentos que ajudem a controlar a fome tanto quanto os carboidratos. Os pães integrais são uma das melhores opções. Eles oferecem metade da quantidade de carboidratos se comparado ao arroz e são mais ricos em proteínas. Além de estarem cheios de nutrientes.

Peito de peru

É uma das melhores fontes de proteína para o cutting por apresentar um bom equilíbrio entre proteína e gordura, além de conter poucas calorias!

Queijo cottage

O queijo cottage tem uma das maiores quantidades de proteína dentre os produtos lácteos. Porém, mais importante do que isso, contém muito cálcio e pesquisas recentes indicam que conta com propriedades valiosas para a perda de peso. É importante escolher as variedades com baixo teor de gordura!

Lentilhas vermelhas

De todas as leguminosas, as lentilhas vermelhas apresentam a maior quantidade de proteína por porção. Tendo, ainda, pouquíssimas calorias e gorduras saturadas. São de baixo índice glicêmico, ricas em fibras e fitonutrientes.

Cogumelos

Os cogumelos são ricos em vitaminas do complexo B e crómio. Adicioná-los à salada é uma ótima opção. Além disso, é sempre importante lembrar que é preferível consumi-los crus, assim como qualquer vegetal, para maximizar a nutrição.

Peito de frango

Peito de frango já é um clássico e é outra opção de proteína para quem faz cutting. Como o peito de peru, tem uma proporção muito alta de proteína e é pobre em gordura. Porém não podemos esquecer que sempre existe variedades com pele e gordura. Por isso, é importante selecionar bem!

Todos os alimentos mencionados são ótimas escolhas para o cutting. Mas é importante saber que a chave para qualquer dieta bem sucedida é a variedade de alimentos. Por isso, certifique-se de que o seu cliente está comendo muitas frutas, verduras, legumes e integrais! Recomendando, também, que procure a ajuda de um nutricionista. Nós sabemos bem que a orientação profissional é sempre importante.

Mas, além de ter uma boa alimentação – e praticar exercícios, é claro -, o que mais se pode fazer para realizar um cutting efetivo?

Liberação miofascial é o segredo para perder peso e definir músculos!

A liberação miofascial é uma técnica cada vez mais popular entre atletas e é extremamente recomendada para quem faz cutting! Trata-se de um método onde se aplica pressão manual, ou instrumental, sobre os tecidos moles do paciente. Ou seja, ela age sobre a fáscia, um tecido conjuntivo que envolve todo o nosso o organismo e que possui diversas funções importantes.

Quando a fáscia é danificada, aderências são criadas nos músculos. Isso leva a diversos problemas, tais como a falta de circulação sanguínea, falta de flexibilidade, além de diminuir a mobilidade nas articulações, comprometendo a movimentação e causando dor.

A liberação miofascial reverte o quadro ao relaxar os músculos e quebrar aderências dolorosas. Aumentando a circulação sanguínea – importante para a recuperação muscular – e devolvendo a mobilidade. É uma técnica extremamente benéfica que trata e previne lesões, assim como dores.

Fica bastante claro que a liberação miofascial é benéfica para atletas, mas como ela pode ajudar durante o cutting?

cutting
Imagem: Shutterstock

Como a liberação miofascial ajuda na perda de peso?

No ambiente em que vivemos hoje, a maioria das pessoas coloca o corpo em estresse constante, causando lesões microscópicas na fáscia diariamente. Por simplesmente ficar muito tempo sentado, ter uma postura ruim ou por realizar trabalhos repetitivos. Tudo isso contribui para que tenham corpos com uma mecânica disfuncional.

O resultado disso é que as pessoas dependem mais das fibras musculares de contração rápida – as quais causam fadiga rapidamente e sustentam apenas explosões anaeróbicas de atividade, tornando a contração muscular dolorosa com facilidade. E o problema disso é que músculos que trabalham anaerobicamente dependem predominantemente do uso de açúcar como fonte de combustível.

Com a liberação miofascial as fibras musculares de contração rápida podem ser relaxadas. Além disso, como a fáscia tem influência sobre o posicionamento de todo o organismo, quando liberamos a fáscia restrita e lesionada, isso permite ter uma melhor função mecânica corporal.

As fibras musculares de contração lenta transportam mais oxigênio e sustentam a atividade aeróbica, tendo como principal fonte de combustível a gordura! Consequentemente, a liberação miofascial ajudará seus pacientes na perda de peso durante o cutting.

Definindo músculos com a liberação miofascial

Para que um atleta tenha a musculatura definida ele precisa ter um alto volume muscular, ao mesmo tempo em que tem um baixo índice de gordura corporal – e é para isso que se realiza o cutting.

Nesse processo, a liberação miofascial age sobre a separação dos músculos, ajudando a deixá-los mais evidentes. Porém, a técnica não faz milagres! É necessário que os músculos estejam presentes para que sejam definidos e a taxa de gordura também não pode estar alta.

Para mais detalhes, aproveite e confira o vídeo com as sessões de liberação miofascial manual e instrumental que o fisiculturista Caio Bottura mostrou aos seus seguidores no YouTube. Ele as utiliza para definir os músculos!

Para saber mais sobre a técnica acesse este texto e fique por dentro de todos os detalhes de que precisa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *